Aspaco Portal - Raças: Morada Nova Raças » Morada Nova

 

ORIGEM - As raças primitivas de arietinos (ovinos
        descendentes do "Ovis aries") parecem possuir genes para a produção
        de lã e genes para a produção de pêlos (ou
        fibras meduladas). Portanto as raças de formação
        mestiça, como o BORDALEIRO de Portugal, apresentam a possibilidade
        de gerar ovinos deslanados, quando os seus descendentes forem submetidos
        a uma seleção natural num ambiente impróprio para
        o desenvolvimento da lã, como é o caso do Nordeste brasileiro,
        onde o ambiente dificultou a disseminação dos ovinos portadores
        de uma capa de lã (velo), enquanto que favoreceu aqueles despojados
        dela (os deslanados) e portanto recobertos de pêlos.

        Segundo Otávio Domingues, que pesquisou a origem dos deslanados
        do Nordeste, e que os denominou de DESLANADOS DE MORADA NOVA, estes formavam
        uma população descendentes do BORDALEIRO de Portugal, particularmente
        do BORDALEIRO CHURRO. Dessa maneira, tanto a variação genética
        com a ação seletiva do ambiente quente e seco do Nordeste
        agiram no sentido desfavorável a formação de lã,
        e favorável a multiplicação e vitoria dos indivíduos
        deslanados.

 

     

ASPECTO GERAL - Animais deslanados, mochos, de pelagem
        vermelha ou branca; machos com 40/60 Kg; fêmeas adultas com 30/50
        Kg.

 

     

CABEÇA - Larga, alongada, perfil sub-convexo,
        focinho curto bem proporcionado, orelhas bem inseridas na base do crânio
        e terminando em ponta; olhos amendoados.

 

     

PESCOÇO - Bem inserido no tronco, com ou sem brincos.

 

     

CORPO - Linha dorso-lombar reta, admitindo-se ligeira
        proeminência de cernelha nas fêmeas.

        - Garupa curta com ligeira inclinação.

        - Cauda fina e média; não passando dos jarretes.

 

     

MEMBROS - Finos, bem aprumados, cascos pequenos e escuros.

 

     

PELAGEM - De acordo com a variedade.

        a)Variedade Vermelha - Pelagem vermelha em suas diversas tonalidades;
        cor mais clara na regiãio do períneo, bolsa escrotal, úbere
        e cabeça. A presença de sinais pretos não desclassifica.
        Pele escura, espessa, elástica e recoberta de pêlos curtos,
        finos e ásperos. Mucosa escura. Cauda com ponta branca.

        b)Variedade Branca - Pelagem branca, sendo permissíveis mucosas
        e cascos claros. Pele escura, espessa, elástica e resistente.

 

     

APTIDÕES - Produção de carne e peles
        de alta qualidade. Ovelhas muito prolíferas.

 

     

ADAPTAÇÃO - Ovelhas muito rústicas
        que se adaptam às regiões mais áridas; desempenha
        importante função social fornecendo alimentos protéicos
        às populações rurais destas regiões.

 

     

DEFEITOS - Pelagem atípica, descaracterizada;

        - Manchas de qualquer cor, sobre as pelagens branca ou vermelha;

        - Pêlos atípicos;

        - Mucosas e cascos despigmentados;

        - Pele excessivamente fina;

        - Constituição débil;

        - Má conformação e aprumos defeituosos;

        - Presença de chifres;

        - Barba e toalha ( babeiro );

        - Orelhas grandes e pendentes;

        - Má formações bucais ( prognatismo, retrognatismo);

        - Lordose, cifose e escoliose;

        - Cauda excessivamente grossa, curta ou mais de 25% de cor branca;

        - Criptorquidia, monorquidia, hipoplasia ou acentuada assimetira testicular.

 



Aspaco Portal - Raças
 Secretaria de Agricultura e Abastecimento
Ovelheiro Online
O Ovelheiro Ed. 133
Busca Aspaco
Aspaco no Google